04/02/2008

Gentes do Tejo, usos e costumes ...











Esta é uma série de fotografias tiradas a uns retratos sobre a vida, usos, trajes e costumes do Avieiros do Tejo. Não sei quem é o autor (tenho pena de não ser eu), nem qual a data em que foram feitos os registos. Avieiros são pescadores do Tejo oriundos da região da Vieira de Leiria, que se foram instalando nas margens do Tejo durante os invernos rigorosos que os impediam de ir ao mar pescar. Foram vindo e instalando-se com as suas familias em casas de madeira construidas por eles mesmos. As mulheres iam trabalhando na agricultura e ajudando na faina piscatória.

6 comentários:

dinis matos ponteira disse...

Lindo trabalho

cerveira disse...

Gostei de ver a tua página. Tens aqui um bom trabalho. Parabéns Alberto

Nuno de Sousa disse...

Belo momento este que aqui colocaste, gostei imenso de ver aqui o teu post sobre os avieiros, belas recordações d eum local que conheci este ano e que adorei visitar e quer o mesmo lá voltar.
Um abraço amigo valeu :-)
E qdo voltas a colocar mais fotos no Fotogenico? Gostava de te ver colocar mais fotos, agora temos mais novidade por á :-)
Um forte abraço meu amigo,
Nuno de Sousa

Madalena Azevedo disse...

Boa noite.
Gostaria de saber se posso usar as fotografias dos Avieiros pblicadas.
Motivo: Projecto da Cultura Avieira a Património Nacional, cujo a Instituição líder é o Instituto Politécnico de Santarém e do qual faço parte como membro do núcleo central de coordenação.Cumprimentos
Madalena Azevedo

Alberto Correia disse...

Cara Madalena Azevedo, esteja à vontade para usar as fotografias que quiser deste blog, ou mesmo alguma informação que possa achar util nos pequenos textos.
Um abraço.

Madalena Azevedo disse...

Olá!
Muito obrigado por ter aceite o meu pedido...não sei mesmo como posso agradecer. Gostaria de informa-lo que o meu interesse neste Projecto é essencialmente contribuir para a divulgação desta Cultura que se desvanece no tempo se nada for feito, logo estas fotos são da sua parte um contributo muito importante.
Mais uma vez os meus agradecimentos
Madalena Azevedo